29 de set de 2012

Canteiro é lugar de flores


Normalmente minhas postagens são prioritariamente de textos, que ilustro com imagens. Hoje farei o contrário. Imagens que falam mais que mil palavras. Aconteceu hoje à tarde (29/09), no centro da cidade, a "Cavalete Parede", um movimento pacífico, organizado pelo facebook, onde artistas plásticos, designers, arteiros, resolveram transformar os cavaletes horrorosos dos políticos em obras de arte.

28 de set de 2012

Campanha fraquinha, fraquinha...

Fonte: http://domacedo.blogspot.com

Dia desses, ao ficar sem carro, voltei para casa de ônibus. Passei pelo viaduto da João Naves e fiquei assustada com a paisagem lá em baixo. Dezenas de cavaletes intercalados se acumulavam no canteiro central da avenida. Espetáculo de horrores em plena luz do dia.
Como profissional da área de comunicação, espanta-me a forma como a campanha está sendo conduzida, em especial para o cargo de vereador. Práticas eco-eficientes passam longe da cabeça de estrategistas e legisladores, que permitem verdadeiras aberrações. E dá-lhe poluição, em todas as suas formas.

14 de set de 2012

Fiquei para titia. Oba!


Infelizmente, aos 43 anos de idade, conclui que não viverei mais a experiência da maternidade. No começo foi triste fazer essa constatação. Sonho acalentado desde menina, mas que ficou para trás por muitos motivos, entre eles um dos meus princípios básicos, de não ser mãe sozinha. Sou moderninha e independente, mas nunca tive vocação para ser mãe fora do contexto da família.

Quem não lê, mal ouve, mal fala, mal vê


Está em cartaz em Uberlândia a peça teatral "Quem não lê: mal ouve, mal fala, mal vê", no teatro Rondon Pacheco. Fui assistir ontem à noite. Vale muito a pena. Nós professores estamos sempre criticando os jovens. Estes, por sua vez, não entendem seus professores ou conteúdos pré-formatados em aulas de 50 minutos. Nenhum dos lados tira um tempo para refletir sobre as diferenças e similaridades que permitiriam a construção de um processo de aprendizagem mais feliz.

Sobre favelas, trânsito caótico e a visão da cidade perfeita




Obra do artista plástico Hanilson, que conheci em Pirenópolis (GO). 

Sim, Uberlândia é uma ótima cidade para se viver. Concordo completamente com isso. Sou fã desse lugar, falo sempre bem, divulgo, valorizo. Mas estamos longe de ser uma cidade perfeita, onde se tomam decisões perfeitas, onde dinheiro jorra das torneiras dos governos estadual ou federal para resolver todas as mazelas da população.

10 de set de 2012

Respirando no Parque do Sabiá

Comecei minha segunda-feira de um jeito muito legal. Como faço regularmente, fui ao Parque do Sabiá, o melhor lugar de Uberlândia. Resolvi participar do programa Respirando no Parque, voltado para a prática do Yoga, Filosofia e Meditação. Começou às 7h, no quiosque da entrada do bairro Tibery. Depois de alguns alongamentos, sentamos e fomos meditar, conduzidos por Cristina Chang.

22 de jul de 2012

E que venham as eleições



Estamos a poucos meses da eleição para o novo prefeito de Uberlândia. São três candidatos, sendo dois apoiados pelos principais partidos. O terceiro conta com a junção de pequenos grupos. A cidade cresce continuamente. Na mesma velocidade, crescem seus problemas. Por enquanto, praticamente não se vê campanha nas ruas. Pela imprensa, aqueles que buscam informações já podem conhecer um pouco melhor os candidatos.

21 de jul de 2012

O amor e o tempo




Gosto de ir à missa de manhã. Um jeito bom de começar o dia, ouvindo Padre Júlio em suas pregações sempre tão cheias de sentido. Hoje, particularmente, a missa me fez refletir bastante. O tema era o bom pastor, que está sempre pronto a cuidar de suas ovelhas, mesmo quando está pronto para descansar.
Mas teve uma outra coisa que me chamou atenção. Ao final da missa, antes da eucaristia, ele celebrou as Bodas de Ouro de um casal. Cinquenta anos de vida conjugal. Dois velhinhos, portugueses, que caminhavam de mãos dadas pelo corredor central da igreja, sob olhares de desconhecidos. Olhares admirados.

Não sois um cifrão, gente é que sois...



A cada dia que passa, percebo que nos transformamos cada vez mais em estatísticas. Deixamos de ser pessoas para sermos simplesmente dados. O mercado, com seus tentáculos poderosos, nos enxerga a todos como cifrões, aquele símbolo mundialmente conhecido que representa o dinheiro. Valemos se, de alguma forma, podemos gerar lucro para as organizações. Somos avaliados mais pelo que temos (carro, casa, roupas da moda) e menos pelo que somos (bacanas, inteligentes, gentis).

Diamantina: cidade musical


Igreja de São Francisco, em Diamantina
Semana passada, ao lado de bons amigos, viajei para Diamantina, cidade histórica situada à margem da Estrada Real, no coração de Minas Gerais. Fomos assistir à Vesperata, evento musical ao ar livre, onde bandas da cidade tocam um repertório variado. Os músicos posicionam-se nas sacadas dos velhos casarões. São colocadas mesas no largo, onde outrora eram comercializados diamantes. Muitos se sentam no chão, nas velhas calçadas de pedras, que contam muitas histórias da Rua da Quitanda.

21 de abr de 2012

Onde estão os recursos para concluir nosso teatro?

http://www.correiodeuberlandia.com.br/
Que eu amo Uberlândia, acho que todos sabem. Mas isso não me impede de ficar inquieta com algumas situações. Uma delas é o descaso de nossa cidade com a cultura, em todas as suas manifestações. A cidade conta com poucos espaços culturais, apenas um teatro de porte, o Rondon Pacheco, que parece caminhar rapidamente para a decadência.

Acendo velas para santos



Eu, ainda menina, e minha
vózinha querida.
Convivi com minha avó materna por um tempo privilegiado. Quando ela partiu, eu já era adulta. Durante todo esse tempo, aprendi muito com a vó Noêmia. Um desses aprendizados diz respeito a acender velas para santos. Lembro-me bem que ela sempre "punha uma vela para o santo" nos momentos de aflição e também de agradecimento.

Reaproveitar é chique!


Móvel repaginado. Ao invés de jogar fora, recrie!

Ultimamente, tenho visto pelas ruas uma cena um tanto quanto inusitada em nossa cidade. Móveis e eletrodomésticos jogados no lixo. Já achei livros abandonados em um terreno vazio e fiquei indignada. Agora, volta e meia vejo cadeiras, sofás, armários, camas e até mesmo televisores e aparelhos de som. Colocados na porta das casas para que o lixeiro leve embora ou algum passante se interesse e pegue.
Creio que esse descarte despreocupado é resultado indireto da ascenção da classe C. Com o crédito fácil, promoções vantajosas e o incentivo maior ao consumo, muitas pessoas decidem modernizar a casa, investindo em novos móveis, eletrônicos, utensílios. Aí surge o dilema: o que fazer com os velhos?

Do Fio ao Sem Fio


Primeira visita da mostra, onde as crianças tiveram uma aula 
sobre a TV em Uberlândia
Em março, foi aberta em Uberlândia a mostra "Do Fio ao Sem Fio, uma viagem pelos cem anos da comunicação no Triângulo Mineiro". Tive o privilégio de participar desse projeto desde quando ele foi concebido pelo publicitário e empresário Celso Machado.

15 de mar de 2012

Boas vindas ao viaduto

Fonte: http://g1.globo.com/minas-gerais
Pois é, o viaduto sobre a avenida João Naves de Ávila finalmente ficou pronto. Há críticas e elogios. Eu, que uso aquele trecho praticamente todos os dias, fiquei satisfeita com o resultado. O trânsito flui bem melhor em horários de pico, são menos semáforos a enfrentar, as pessoas aos poucos se acostumam com a velocidade certa e começam a usar as duas pistas, ao invés de se concentrarem na faixa central.

14 de mar de 2012

O dia em que Uberlândia parou

Fonte: Blog da Mary
http://maryvillano.blogspot.com
Há muitos anos, Raul Seixas gravou uma música chamada "No dia que a Terra parou". Nela, o maluco beleza conta de um sonho, onde todas as pessoas combinaram que não saíriam de casa. Ao longo dos versos, o compositor lista uma série de coisas que não aconteceram de um lado porque as pessoas sabiam que do outro lado não haveria ninguém.

13 de mar de 2012

Mais uma mensagem de aniversário


Daqui a poucos dias, minha mãe fará aniversário. Ela não quer comemorações nem homenagens. Detesta o fato de estar envelhecendo. Tem esse direito. Filhos, normalmente, lidam mal com o envelhecimento dos pais. Nossa finitude é inequívoca.

4 de mar de 2012

Discursos corporativos em linha reta (de colisão)

Sou uma apaixonada por Fernando Pessoa, ele mesmo e heterônimos. Sei de cor vários de seus poemas e eventualmente eles me vêem à mente quando quero escrever sobre temas contemporâneos. Dia desses, peguei-me entre os versos do Poema em Linha Reta, de Álvaro de Campos:

"Nunca conheci quem tivesse levado porrada.
Todos os meus conhecidos têm sido campeões em tudo."

Essas palavras vieram-me à lembrança após uma aula sobre identidade, imagem e reputação, parte do conteúdo que ensino em sala de aula. Assistimos a alguns vídeos institucionais que, mesmo sendo de empresas diferentes, eram conceitualmente iguais. Apresentavam organizações que, como no poema do autor português são todas, sem exceção, "princesas na vida".

15 de jan de 2012

Assassinaram a gramática

Fonte: http://educarparacrescer.abril.com.br/index.shtml
Ultimamente, ando assustada com a quantidade de erros de português que encontro na comunicação oral e escrita. Confesso: Também cometo meus erros, mas procuro revisar antes de publicar e, na medida do possível, corrigir.
Tem alguns erros que desconfio que sejam culpa dos corretores ortográficos dos sistemas computadorizados. Um deles é a eterna confusão entre o "há", do verbo "haver" e o "a", preposição. Hoje mesmo, no jornal, li uma manchete onde se usava equivocadamente uma forma pela outra. Não sei qual é exatamente a regra, mas para não errar, eu costumo relacionar o "há" com passado, como por exemplo "há dois meses chovia muito na cidade". Pode-se também relacionar com o sentido de "existir" ou "fazer".

8 de jan de 2012

Atendimento ao consumidor. Parace que só os próprios se preocupam com isso.

Fonte: http://diaadiadeumcliente.blogspot.com
Dê uma passada rápida de olhos pela sua timeline. Seja no twitter ou facebook. Aposto que tem alguém reclamando do atendimento da operadora de telefonia celular. Acertei? Acredito também que um dos seus amigos critica vorazmente o provedor de internet, cujo serviço é caro e cai toda hora. Existe ainda uma grande chance de que algum amigo, tentando viajar de avião (seja em férias ou a trabalho), tuíte alguma coisa sobre atrasos, aeroporto fechado ou falta de informações.

7 de jan de 2012

Hoje é dia de visita


Fonte: www.orkugifts.com
Quando eu era criança, eventualmente a gente recebia visitas. Ou visitava alguém. Eu particularmente adorava aqueles dias especiais. Não falo daquelas que se transformam em estadias de curta ou longa duração. Mas daquelas onde há tempo suficiente para se coar um café fresquinho ou compartilhar uma cerveja gelada.

O mato esconde o Parque Linear

Fonte: www.uberlandia.mg.gov.br
Sei que é época de chuva e que fica difícil conter o mato que toma conta das praças, canteiros e parques de Uberlândia. Mas fiquei triste em ver o estado de aparente abandono em que se encontra o Parque Linear do Rio Uberabinha. O mato está tão alto que a gente já não anda sobre a grama, nem chega perto dos lagos ou das fontes de água. Os equipamentos de lazer, como o quiosque onde outrora tinha um bebedouro, parecem totalmente esquecidos. Aliás, o bebedouro foi retirado há meses e jamais reposto.

Missão Criança: um exemplo

Fonte: www.missaosaldaterra.org.br
Neste ano, a convite de um amigo muito querido, passei a noite de Ano Novo na Missão Criança, um abrigo onde se cuidam de meninos e meninas, desde bebês até adolescentes. São quatro casas, onde as crianças moram sob os cuidados das chamadas mães sociais.

Carta de despedida

Fonte: www.blogsimplesassim.com
Olá. Espero que esteja tudo bem com você.
Escrevo para pedir um pequeno favor, tomara que não seja nenhum inconveniente. É algo pequeno e simples, fácil de fazer. Vai te tomar algum tempo, dependendo do quanto você quiser ser transparente e honesto. Mas se quiser apenas atender meu pedido, de forma simples e direta, levará poucos minutos. Talvez segundos.
Sem mais delongas, queria te pedir que me escrevesse uma carta de despedida. Uma simples carta, onde vai me dizer adeus. Caso queira apenas usar essa palavra, vou entender. Mas se não for pedir muito, nem abusar de sua imensa boa vontade, faça um esforço maior e me explique as razões deste adeus. Seja um rude "não te quero mais", seja "você não é o que esperava", "encontrei outro alguém" ou simplesmente "somos diferentes demais".

Uberlândia tem Praia!

Foto: Caio Graco Machado
Fonte: http://www.panoramio.com/photo/40684814
Adoro descobrir coisas legais na cidade que escolhi para viver. Ontem, meio que sem querer, descobri a tarde de sábado no Mercado Municipal. Tem samba, tem gente bonita, tem comida boa, tem cerveja gelada, tem bons amigos, tem paquera, tem conversa non sense, tem alegria, tem barulho, tem vida. Parece até que Uberlândia tem praia, porque o clima que vivenciei ali é típico daqueles fins de tarde em barzinhos beira mar.
Parece que essas tardes já rolam faz tempo, mas eu nunca me liguei. Ontem um amigo me convidou para almoçar e fomos parar lá. Antes, dei uma paradinha na loja da Aica para dar um beijo em uma velha amiga e comprar um delicioso licor de jabuticaba (uma das minhas bebidas favoritas no mundo, diga-se de passagem).

Sugestões aos candidatos à prefeitura

Embora lenta, já foi dada a largada para a corrida eleitoral de 2012. Quem cruzar a linha de chegada irá administrar uma cidade em franco crescimento, politicamente relevante, social e culturalmente importante no cenário estadual.
Alguns nomes já despontam: Luiz Humberto Carneiro (apoiado pelo atual Prefeito Odelmo Leão Carneiro), Gilmar Machado (nome forte do PT) e Liza Prado (que se apresenta como candidata da terceira via). Recentemente, todos deram entrevistas ao jornal Correio, relatando seus projetos, preocupações e planos para uma cidade que ultrapassa a marca dos 600 mil habitantes.