21 de abr de 2012

Onde estão os recursos para concluir nosso teatro?

http://www.correiodeuberlandia.com.br/
Que eu amo Uberlândia, acho que todos sabem. Mas isso não me impede de ficar inquieta com algumas situações. Uma delas é o descaso de nossa cidade com a cultura, em todas as suas manifestações. A cidade conta com poucos espaços culturais, apenas um teatro de porte, o Rondon Pacheco, que parece caminhar rapidamente para a decadência.

Acendo velas para santos



Eu, ainda menina, e minha
vózinha querida.
Convivi com minha avó materna por um tempo privilegiado. Quando ela partiu, eu já era adulta. Durante todo esse tempo, aprendi muito com a vó Noêmia. Um desses aprendizados diz respeito a acender velas para santos. Lembro-me bem que ela sempre "punha uma vela para o santo" nos momentos de aflição e também de agradecimento.

Reaproveitar é chique!


Móvel repaginado. Ao invés de jogar fora, recrie!

Ultimamente, tenho visto pelas ruas uma cena um tanto quanto inusitada em nossa cidade. Móveis e eletrodomésticos jogados no lixo. Já achei livros abandonados em um terreno vazio e fiquei indignada. Agora, volta e meia vejo cadeiras, sofás, armários, camas e até mesmo televisores e aparelhos de som. Colocados na porta das casas para que o lixeiro leve embora ou algum passante se interesse e pegue.
Creio que esse descarte despreocupado é resultado indireto da ascenção da classe C. Com o crédito fácil, promoções vantajosas e o incentivo maior ao consumo, muitas pessoas decidem modernizar a casa, investindo em novos móveis, eletrônicos, utensílios. Aí surge o dilema: o que fazer com os velhos?

Do Fio ao Sem Fio


Primeira visita da mostra, onde as crianças tiveram uma aula 
sobre a TV em Uberlândia
Em março, foi aberta em Uberlândia a mostra "Do Fio ao Sem Fio, uma viagem pelos cem anos da comunicação no Triângulo Mineiro". Tive o privilégio de participar desse projeto desde quando ele foi concebido pelo publicitário e empresário Celso Machado.