10 de abr de 2010

O Girassol

Quando o vi pela primeira vez, há duas semanas, pensei que deveria ser ilusão de ótica, que eu estava distraída e que havia apenas imaginado a cena. Mas hoje eu o vi de novo, no mesmo lugar, amarelo, imponente, buscando cada vez mais luz. Nascido no asfalto, beirado pelo concreto, ele achou uma fresta de terra para germinar. Um belo Girassol na beira da BR 050, exatamente no local onde, há quatro anos, sofri um acidente de carro. Um Girassol solitário, com seu dourado forte buscando sobreviver entre as centenas de carros que passam por ele todos os dias, sem nem o notar.

A poucos quilômetros daquele lugar, existe uma grande plantação de Girassóis, nas proximidades de Uberaba. Enche os olhos de quem passa pela rodovia e consegue enxergar a beleza daquele cenário inusitado, milhares de flores amarelas voando pelo ar. È um dos cartões postais da viagem entre Uberlândia e Franca, que sempre rouba a atenção dos meus olhos.
Muito provavelmente, sementes de Girassol foram levadas pelo vento e foram cair ali, numa pequena brecha de terra no asfalto. Sem água, sem cuidado, sofrendo com o vento e a velocidade alucinada dos carros passando sem parar, aquela flor conseguiu germinar e brotou justo naquele lugar, que durante tantos anos significou para mim uma experiência de quase morte. A semente encontrou terra fértil.
Um Girassol crescendo em seu esplendor, em plena rodovia, numa fresta de terra no meio do asfalto, por si só já seria surpreendente. O fato dele ter encontrado esta fresta justamente onde meu carro parou naquele dia, onde desci atordoada e fui socorrida por pessoas desconhecidas, fez com que eu pensasse no motivo de ter passado por ali justamente nestes dias, em que ele reluz amarelo. Talvez ele não resista às intempéries e murche amanhã. Talvez ele não estivesse lá há cerca de um mês.
Mas lá estava hoje o Girassol. Desde o dia do acidente, eu sempre passava por aquele ponto e agradecia a Deus pela vida. Você não se esquece facilmente de um lugar onde sofreu um acidente. Ele passa a fazer parte de sua história. Não tive traumas, nunca chorei ao passar por ali. Mas hoje, aquele lugar ganhou um novo significado. O Girassol me fez enxergar que todos somos capazes de renascer a partir de uma fresta de terra. Um lugar que ontem era ligado a uma lembrança triste, hoje passou a significar sobrevivência, nova vida.
Se uma sementinha de Girassol foi capaz de germinar em condições tão adversas, o que dizer de nós? Somos pessoas com um potencial enorme para a felicidade, mas muitas vezes escolhemos ficar na grande plantação de Girassóis. De vez em quando passa pela nossa cabeça nos lançar ao vento. Mas temos medo, muito medo. Afinal, por que trocar o conforto da plantação de centenas de Girassóis pela incerteza da fresta na rodovia? Será possível germinar ali, com tantas intempéries, com tantos fatores de risco?
Somos pessoas especiais, inteligentes, dotadas da capacidade de nos reinventar, de reescrever a nossa história, de dar novo significado aos fatos que marcaram a nossa história. A morte pode ser algo triste, mas pode também significar o começo de uma nova realidade. Ser demitido do emprego é algo assustador, mas pode abrir uma fresta para que comecemos uma nova carreira, para que nos tornemos empreendedores. Perder um amor é doloroso, mas pode ser a janela que nosso coração abre para que entre alguém ainda mais especial. Uma doença grave pode ser algo difícil de encarar, mas pode também ser a chave para nos conhecermos melhor e buscarmos uma força que nem sabíamos existir.
Se uma semente de Girassol consegue germinar em condições adversas, o que dizer de nós? Temos o poder de mudar a nossa história. Temos o poder de escrever nosso caminho, de conquistar nossa felicidade, de buscar uma fonte de energia que regue nossas raízes, de beber da água da chuva que cai às vezes para matar nossa sede. Temos dentro de nós o poder da criação, de olhar para o espelho pensando em quem queremos nos tornar e nos tornar exatamente quem queremos ser.
A semente da mudança vive dentro de uma fresta em nosso coração. Para germinar, ela só precisa de coragem e de determinação para enfrentar as intempéries, que com certeza virão. Um chefe chato, sobrecarga de trabalho, um amor que se foi, alguém amado que perdemos para a morte, falta de dinheiro, solidão... As intempéries são muitas, mas temos a luz do sol, a força da terra, a água da chuva. Temos inteligência, temos fé, temos confiança em nosso potencial. Temos amigos. Somos muito mais fortes que uma semente de Girassol.
Se passarem pela BR 050 por esses dias, prestem atenção aos Girassóis. Eles podem transformar um lugar de quase morte em um lugar de toda a vida. Se virem um Girassol cravado no asfalto, aprendam com ele. A vida nos presenteia a cada minuto pelo simples fato de estarmos aqui. Temos vocação para a felicidade. Basta encontrar a fresta em nossos corações e fazer a semente germinar.

(texto antigo, mas que sempre me faz refletir sobre mim mesma)

Nenhum comentário: