10 de abr de 2010

Beija-flor



"Não se admire se um dia,
um beija-flor invadir,
a porta da sua casa,
te der um beijo e partir.
Fui eu quem mandou o beijo,
que é prá matar meu desejo,
faz tempo que não te vejo,
Ai que saudade de ti".


Dia desses, um beija-flor invadiu as portas de minha casa, como na letra de uma velha canção. Ele voava muito ágil e tive algum trabalho para convencê-lo a voltar para o quintal, onde poderia voar livremente. Quando ele finalmente saiu, percebi que aqueles poucos segundos representaram uma mensagem que o pássaro tinha para me dar. Talvez, como diz a canção, o beija-flor estivesse apenas trazendo um beijo amigo, antes de partir.
Assim como o beija-flor chega de repente, ele se vai de repente, batendo freneticamente suas poderosas asas. As mudanças acontecem de modo semelhante...
Em nossa vida, há momentos em que passamos por grandes desafios, por tempos de ganhos e perdas. Há momentos em que aprendemos a ver a vida ainda com mais amor, a aceitar a ajuda dos amigos com o coração aberto e a ter a certeza de que não podemos fazer tudo sozinhos. As mudanças vêm nas asas de um beija flor.
Nesses momentos, algumas vezes aprendemos que Deus não fala português, fala uma língua cheia de simbolismos que muitas vezes demoramos anos para entender. Aprendemos a aceitar que temos limites e que precisamos aceitar que nem tudo acontece como planejamos. Aprendemos que a vida coloca à nossa disposição tudo o que precisamos para sermos felizes, mas insistimos em buscar fora de nós aquilo que nos trará a alegria sincera e a paz que precisamos para seguir adiante.
Apesar de todas as coisas que acontecem em nossas vidas e podem nos fazer sofrer, aprendemos que é dos reveses que nasce a força do ser humano, a resiliência, a capacidade de entender que nem sempre Deus será direto em seus ensinamentos e nas lições que devemos aprender.
Há momentos em que vivemos um período de morte e renascimento. O novo ser surge aos poucos, e sempre esperamos que seja melhor. Algumas vezes queremos que tudo seja mais rápido. Outras ficamos atordoados com a velocidade.
Morte e renascimento parecem contraditórios, mas são complementares.

(Este texto foi escrito em 2005. Hoje, enquanto o editava para postar no blog, começou a tocar no rádio uma bela canção sobre o beija flor, que trouxe meu amor, pegou e foi embora... coincidências felizes!)

Um comentário:

INACIA disse...

e vendo uma imagem dessa que consigo acreditar em um poder maior. DEUS