1 de dez de 2010

Um milhão de amigos

Há muito tempo, quando eu era criança e tinha um canal direto de comunicação com Papai Noel, lembro de alguns pedidos que fiz a ele. E olha que nem existia twitter ou msn. As crianças escreviam cartinhas ou tinham conversas diretas, semelhantes àquelas que tínhamos com os anjos da guarda ou amigos imaginários.
Meus pedidos para o bom velhinho eram singelos, entre eles, o de ter muitos amigos, para não me sentir sozinha. E Papai Noel parece que me entendia, pois sou uma das raras pessoas que tem muitos amigos verdadeiros, mais do que podem contar os dedos das mãos.
Hoje, ao vir para casa, depois de um encontro delicioso com uma dessas amigas que Papai Noel me deu de presente e a quem amo imensamente, lembrei-me de uma velha canção, que dizia: "Eu quero ter um milhão de amigos e bem mais forte poder cantar". Com a ajuda do Google, descobri que é uma música do rei Roberto Carlos. Quer ouvir? Clique aqui. Pode parecer brega, mas e daí?
Em tempos de orkut e facebook, tem gente que pode se orgulhar de ter um milhão de amigos, mas na virtualidade promovida pela internet, amizades assumem uma configuração diferenciada. Amigos virtuais fazem parte dos meu mundo concreto e real.
Devo ter sido uma boa menina, porque Papai Noel trouxe para minha vida amigos verdadeiros, daqueles que me acompanham há anos. Ontem foi aniversário de um deles. Passei o dia todo tentando ligar e cheguei a pensar que seria a primeira vez em mais de vinte anos que não conseguiria dar os parabéns para ele. Consegui, no comecinho da noite. Ao ouvir sua voz tão conhecida, meu coração pulou de alegria. Talvez tenha sido assim que Maria sentiu-se quando soube que seria a mãe de Jesus. Sim, porque a voz do anjo que sussurou em seu ouvido é a mesma voz que sussurra no nosso quando acontecem os encontros com os amigos.
São tantos os presentes que Papai Noel colocou em meu caminho na forma de amigos que se eu fosse listar todos e todas as boas lembranças, talvez fosse necessário um livro. Este ano, vivi o prazer do reencontro com uma amiga irmã, sumida há vários anos e que me reencontrou por meio de meu antigo blog, o Pessoa de Estimação. Ainda não nos encontramos pessoalmente, mas chorei de alegria quando ouvi sua voz, tão familiar, depois de tantos anos.
Semana passada, fui visitar um casal de amigos sem avisar. Estava ao lado da casa deles e resolvi bater, mesmo sabendo que talvez ele não estivessem em casa. Acontece que estavam. E me receberam muito bem. Envolvidos com o banho dos filhos, com mudanças na casa, me receberam com tanto carinho, aquele tipo de carinho que eu pedia para Papai Noel quando era criança.
Hoje fui me encontrar com uma dessas amigas e levei um presente de Natal. A gente morreu de rir quando descobriu que havia comprado uma para a outra um presente quase igual, que tem toda uma história dos inúmeros cafés que tomamos juntas em agradáveis tardes de conversas, risadas e trocas verdadeiras de boas energias.
Tenho amigos com quem morro de rir, em conversas sem sentido. Amigos com quem compartilho sonhos de amor. Amigos que não vejo há anos, mas de quem acompanho os passos. Amigos que me acolhem quando preciso de um lugar para ficar. Amigos que me indicam para trabalhos quando sabem que estou por baixo e precisando me reerguer. Amigos que compartilham meu amor pelos cachorros. Amigos com quem compartilho as agruras e alegrias do mestrado. Amigos que se casam, que têm filhos, que buscam o amor. Amigos que acreditam em uma amizade colorida, que nunca vai acontecer. Amigos reais e virtuais, amigos que se declaram apaixonados. Amigos que moram perto. Amigos que moram longe. São tantos os tipos de amigos que nenhuma classificação daria conta deles.
Fico pensando no quanto Deus é bondoso comigo. Faço amigos por onde passo. No trabalho, na escola, na igreja, na vizinhança, na cãominhada, no meio do nada em Minaçu. Mas Papai Noel, desde os tempos de menina, me advertiu para o seguinte: amizades precisam ser cultivadas. Pequenas coisas, como um telefonema, uma visita programada ou inesperada, um email, um almoço ou um sorvete. Amizade precisa de flor, de carinho, de saudades, de contatos, de encontros e despedidas. Em tempos de contatos virtuais, um emoticon no msn para mandar um sorriso ou um pensamento feliz, um bom dia no twitter.
Penso que terei que escrever novamente ao Papai Noel, dessa vez para agradecer. Agradecer porque figurativamente, tenho um milhão de amigos. Não necessariamente em quantidade, mas na qualidade do afeto de nossas relações. É para eles que desejo um Natal cheio de paz e um novo ano cheio de felicidade, sucesso e muita, mas muita amizade mesmo.
Como hoje sou uma menina moderna, resolvi mandar minha cartinha por aqui mesmo, nesse blog. Obrigada Papai Noel. Não apenas pela quantidade de amigos, mas pela qualidade de cada pessoa que faz parte do meu mundo.

6 comentários:

Anônimo disse...

Oi amiga e queridíssima Adri a quem eu tenho a maior satisfação de considerar uma das minhas pessoas preferidas desse planeta. Também agradeço a Deus porque Ele te colocou na minha vida pra nunca mais sair... e nunca mais significa a eternidade do sempre e para sempre, é o que eu desejo: até lá depois dessa vida passageira, lá no reino de Jesus, onde as ruas são feitas de ouro, onde todos filhos reconciliados e libertos do inimigo de Deus, poderão ser plenanamente felizes para sempre! Eu te amo do fundo do meu coração e te desejo que Deus te envie uma frota de anjos com bandejas cheias de bençãos maravilhosas para a sua vida em 2011! Para quem não sabe, sou amiga da Dri desde 86: Por alguns anos inseparáveis, depois décadas distanciadas por um oceano, ainda que distantes compreendemos as pérolas de Richard Bach que deixou frases como: "Longe é um lugar que não existe" e “Cada presente de um amigo é um desejo por sua felicidade.” A todos que ainda se sentem solitários de uma maneira ou de outra, aqui fica uma reflexão: Não construa cercas e fortalezas, não enclausure sua alma, mas sim tente construir pontes que te aproxime de outras almas, não basta andar, caminhe sempre em busca de um norte, de uma direção. Enchergue além, e então voe cada vez mais alto e mais distante a procura de respostas e da verdade. "... “Porque o importante é você saber a verdade. Até saber, até realmente compreender..." Adri, vc é um ser de luz envolta em um colar de pérolas reluzentes e genuínas: cada uma representando um verdadeiro e eterno amigo. E eu fico lisongeada por saber que faço também parte desse seu tão precioso e brilhante tesouro. "Uma alma gêmea é alguém cujas fechaduras coincidem com nossas chaves e cujas chaves coincidem com nossas fechaduras. Quando nos sentimos seguros a ponto de abrir as fechaduras, surge o nosso eu mais verdadeiro e podemos ser completa e honradamente quem somos. Cada um descobre a melhor parte do outro."Richard Bach" Continue brilhando! Um abraço enorme de uma de suas almas gêmeas, e mais uma fâ, Fernanda Balau

Anônimo disse...

Oi Dri, Muito obrigado pela mensagem! Neste ano, escolhi uma frase para compartilhar com todos os amigos e com as pessoas que, por um momento ou outro, acabo encontrando em ocasiões singulares. É esta: Neste Natal e durante todo o novo ano, desejo que tenhamos divertidas histórias para serem vividas, contadas e lembradas. E por ser uma querida amiga, quero, de verdade, que estejamos próximos para curtir cada uma dessas histórias divertidas. Um beijo carinhoso do amigo Zé (:

Anônimo disse...

OI Adri, Parece que ouvi sua voz dizendo essas coisas que vc escreveu com sinceridade e doçura. A gente já trabalhou, fofocou, se encontrou nos mais diversos lugares, e mesmo depois de tantos anos de amizade distante (não por opção, mas por contingência da vida) toda vez é como se nunca tivessemos nos separado. Adri, vc é um farol de amizade luminosa e radiante. Brilhe sempre pra nós! Beijo da sua parceira e fã, Stela Masson

Anônimo disse...

Drika. Você é mesmo uma pessoa pra lá de especial. Não me canso de lhe dizer e tenho certeza que deve haver uma fila enorme atrás de mim, que compartilha do mesmo sentimento. Imagine então se o Papai Noel, aquele bom velhinho tão resiliente, que assume perfil e comportamento diferente de acordo com a percepção de cada um de nós, não pensaria igual? Com certeza, a sua cartinha de agradecimento renderá, mais uma vez, bons frutos em 2011. Beijo grande amiga. Lau Santangelo

Maurity Cazarotti disse...

Uma vez entrei em uma sala de aula, meio que arrastado por amigas e você se lembra muito bem! Naquela sala, logo no primeiro dia, tive a certeza que você seria não só uma grande professora, não somente no tamanho, mas também em caráter, simpatia e sabedoria. E assim fiz. Uma grande e bela amizade, que não será apenas de sala de aula ou profissonal, mas sim amizade de verdade que ainda está no começo, mas que espero plantar para a vida toda. Abraço e tudo de melhor pra você Dri! Belo texto

Anônimo disse...

Adriana,

Gostei muito da sua mensagem. Realmente os amigos são indispensáveis em nossas vidas e, os verdadeiros permanecem conosco independente da distância.

Tenho gostado muito de suas mensagens no blog. Continue assim!

Abraços

Heila