17 de jul de 2011

Movimento Internacional de Música de Uberlândia

Nos últimos dois dias, viajei pelo mundo sem sair de Uberlândia. Quer saber como? Transportada nas notas musicais do Movimento Internacional de Música de Uberlândia, promovido pela Universidade Federal. O evento trouxe à cidade músicos brasileiros e estrangeiros. Estudantes, professores e profissionais de diversas localidades vão se apresentar em diferentes espaços, como igrejas, praças, universidade e no Center Convention. Serão mais de cem concertos.
A abertura aconteceu na noite de sábado, 16 de julho, no pátio do novo teatro de Uberlândia, ainda em construção. Uma orquestra de câmara, formada por músicos de diferentes nacionalidades, apresentou várias peças, entre elas um arranjo a partir de composições de Baden Powell. Na mesma noite, a banda Ab´surdos, composta por estudantes de música com deficiência auditiva, receberam os convidados ao som de uma execução brilhante do Hino Nacional Brasileiro. A mesma banda apresentou música de autoria de um dos alunos do grupo. O regente Alex Klein, ao apresentar a música, lembrou à platéia que um dos músicos mais conhecidos do mundo, Bethoven, compôs parte de sua obra acometido pela surdez.
Na noite de abertura, o empresário Alexandre Biaggi, dono da distribuidora local da Coca Cola e um dos patrocinadores do evento, disse uma frase que me chamou atenção. Está na hora da cidade deixar de ser esse "porteirão" e investir mais em cultura. Ele esteve presente ao concerto de ontem e ao de hoje, mostrando que não basta pagar o patrocínio beneficiando-se das leis de incentivo. Tem que participar! Quantas vezes a gente vê eventos culturais na cidade onde são reservados lugares para os patrocinadores, eventualmente ficam vazios...
Na noite de domingo, foram apresentadas quatro peças, uma delas executada por um grupo de jovens russos, um quarteto de cordas. Uma execução emocionada e tocante, que leva à viagens por recantos inexplorados da alma da gente. O mesmo aconteceu com o solo de violino, de cello e de piano.
Confesso que, ao sair desse segundo concerto, perguntei a mim mesma se estava realmente em Uberlândia. Uma platéia formada por jovens estudantes em absoluto silêncio durante a execução das peças. Em absoluto silêncio quando o regente explicava o que iria acontecer durante o concerto. Em absoluta euforia após cada apresentação. Fiquei surpresa porque quando vamos ao cinema, convivemos com jovens que chutam cadeiras, falam alto, atendem ao celular. Porque em sala de aula, convivemos com alunos que navegam em seus gadgets, conversam sobre tudo menos o tema da aula e ainda insistem em ser aprovados, mesmo com notas medíocres. Vi nesses jovens estudantes de música o brilho no olhar que deveria existir naqueles que escolhem sua profissão pautados pelo amor.
A Universidade Federal de Uberlândia está de parabéns pela organização do MIMU, como está sendo chamado carinhosamente o evento. Serão duas semanas de concertos, todos gratuitos. Na praça do Coreto, na Oficina Cultural, no Campus Santa Mônica, na Igreja do Espírito Santo do Cerrado, no Center Convention, no Mercado Municipal. Tem muito Mimu ainda por vir.
A imprensa local, por enquanto limitou-se a anunciar quais concertos estão previstos, deixando de enxergar pautas maravilhosas, como a linguagem universal da música, a presença de profissionais de renome nacional e internacional, a homenagem a Calimério Soares, musicista uberlandense morto recentemente. No ar, uma mistura de gente que fala uma língua só, ensinada por mestres, marcada por clássicos e permeada por sensibilidade. Como jornalista, nestes dois dias eu enxerguei pelo menos cinco boas pautas, algumas inclusive estaduais ou nacionais.
Se você ainda não foi, participe do MIMU. Mesmo que não conheça ou não goste de música erudita, vá para experimentar. Para verificar a riqueza das combinações das notas musicais, a leveza nas mãos do artista. Confira a programação integral no site do MIMU. http://www.mimufestival.com.br/.

2 comentários:

Fênix27 disse...

Olá, vim visitar o seu espaço, nossa adorei este texto falando de música,o mais importante viajar sem sair do nosso estado conhecendo outros valores através da musica.Sensacional, já sou sua seguidora.
Felicidades.
http://wwwavivarcel.blogspot.com/

Guilherme Damasceno disse...

Perdi o evento. :(