6 de nov de 2010

Onde estão as pessoas a fim de trabalhar?

Acabo de chegar de uma nova pizzaria que abriu em Uberlândia, a Sapataria da Pizza, que começou em Franca, por obra de um empreendedor de lá que resolveu apostar em uma velha receita de pizza, feita na frigideira, com casquinha fina e muito recheio. Lá, a pizzaria foi montada em uma velha sapataria, no centro da cidade, que durante muito tempo marcou a paisagem das ruas antigas daquele lugar. Em Uberlândia, a pizzaria acaba de chegar. O lugar é perfeito, a pizza é a mesma e deliciosa, o empreendedor responsável, uma pessoa profissional e interessada em atender bem ao cliente. Mas mesmo com todo o esforço, algo não começou bem em nossa cidade e esse algo foram justamente as pessoas contratadas para atender às mesas e o caixa.
Pessoas despreparadas, confusas, algumas até mal humoradas. Por alguns instantes, enquanto via os garçons meio confusos, prestava atenção também ao dono, que servia mesas, coordenava a equipe, fechava contas e tentava, ele mesmo, minimizar os pequenos erros de sua equipe. Nessa noite, além da equipe nova, dois haviam faltado e a Cemig, que tem falhado com frequência em nossa cidade, o deixou sem luz por cerca de 30 minutos.
Haja equilíbrio para ser empreendedor nessas ocasiões. Converso com certa frequência com empresários da cidade e ouço uma reclamação com cada vez mais frequência: falta gente preparada e que queira trabalhar. Isso acontece na área de atendimento, vendas, operações, construção e qualquer outra onde pessoas sejam necessárias. Eles falam da dificuldade em encontrar profissionais comprometidos, que queiram trabalhar, atender com qualidade, ser solícitos, prestar serviços. Tem muita gente procurando emprego, mas poucas pessoas querendo trabalhar.
Servir pessoas é algo que envolve muito mais que educação e gentileza. Envolve gostar de gente. Estamos carentes de pessoas que gostem de gente, que gostem de servir, que gostem de sorrir e de ser simpáticos. Estamos fartos de pessoas grossas, mal educadas, que pensam que fazem um favor em nos servir.
Penso que a resposta passe por melhor remuneração, treinamento e investimento nos seres humanos, mas penso também que passa pelo desenvolvimento de pessoas melhores. Todos temos que exercer alguma atividade que nos garanta a subsistência e também a satisfação como profissionais e como seres humanos. Procuramos a felicidade. Mas penso que, precisamos de um emprego para sobreviver, mesmo que a gente não goste dele, vamos procurar fazer da melhor maneira possível o que precisa ser feito.
A gente nunca esquece uma pessoa que nos atendeu bem. Um empreendedor vai sempre valorizar aquele funcionário que fez mais que os outros. Muitas vezes a gente critica sem levar em conta todos os aspectos. Gostar de gente é a chave. Tudo muda quando isso acontece. Vale a pena tentar.
A propósito, a Sapataria da Pizza é tudo de bom. Recomendo muito. Mas por enquanto, será necessário enfrentar pequenos erros... Coisas de Uberlândia.

Um comentário:

Agnaldo Quinaglia disse...

Boa Noite, Adriana
Meu nome é Agnaldo Quinaglia, tbm sou de Franca e moro a 3 anos em Uberlândia, conheço a Sapataria da Pizza há mais de 8 anos, e decidi abrir a casa aqui em Udia. Gostei mto do texto que vc escreveu, a casa já existe a 4 meses, e te prometo que já melhorou mto, até porque vou buscar, incansávelmente, um atendimento de qualidade.
Espero vê-la em breve. Se identifique qdo for lá.
Um abração
Agnaldo