6 de nov de 2010

Gente jabuticaba

Todos os dias, impreterivelmente, julgamos uma pessoa pela aparência. E somos julgados também, com certeza. Todos os dias rotulamos pessoas, algumas vezes de maneira simpática, outras sarcástica. Pessoas nos rotulam de volta. Somos humanos, fazemos essas coisas.
Hoje, ao comer jabuticabas, comecei a refletir sobre isso. Mas o que jabuticabas tem a ver com as reflexões acima? Se a gente tiver que descrever a frutinha, vai dizer que ela é preta, casca dura, normalmente vem sujinha da feira, é dura para morder. Mas uma vez que aquela melequinha branca sai de dentro dela.... quanta doçura e delícia.
Algumas pessoas são jabuticabas. A gente evita se aproximar delas, porque muitas vezes são vistas como "cascas grossas", como pessoas de difícil convivência, fechadas. Com medo de uma resposta enviezada, ou de uma dose de ironia, melhor nem chegar perto. Podemos estar diante de uma pessoa doce e gostosa, mas como já rotulamos, melhor deixar para lá. Difícil mudar um rótulo...
Pessoas jabuticaba são surpresas deliciosas para quem resolve passar pelo limite da casca, lava a sujeirinha e morde a frutinha. Que prazer doce se descobre em cada bolinha, sendo que elas nunca são iguais, mesmo vindo do mesmo pé. Umas mais docinhas, outras nem tanto. Mas toda jabuticaba com sua cor, seu sabor, sua doçura.
Outras pessoas são abacaxis. Caroquentas, ásperas e até mesmo cortantes do lado de fora. Dão um trabalho danado para descascar. Uns carocinhos parecem que não saem nunca. Mas quando a gente enfrenta, descasca e come a fruta... Delícia das delícias. Impossível descrever gosto de abacaxi, não é mesmo? Alguns são doces como mel, outros mais azedinhos. Nenhum abacaxi é igual ao outro. Cada um tem sua casca mais ou menos dura. Cada um tem seu doce.
O mesmo acontece com outras frutas deliciosas, como o Kiwi, peludo e áspero por fora, verdinho e cheio de desenhos de semente por dentro. A jaca, grosseira no pé, deliciosa em cada gomo. O coco, que pode até machucar se cair no pé da gente, mas branco e doce por dentro, incapaz de quebrar dente.
Por outro lado, frutas como o morango, lindas por fora, podem estar lindas por cima da caixa, mas apodrecendo por baixo. Nem toda a beleza garante que a caixa inteira estará impecável. Goiabas podem ter bichinhos, conhecidos no interior como bigatos. Maçãs, frutas tão lindas, podem estar totalmente tomadas por bichinhos que se escondem e não se deixam perceber na casca. O pequi nasce de uma flor belíssima, tem um cheiro bom, mas se a gente morder, enche a boca de espinhos...
A casca pode esconder algo muito bom ou algo muito ruim. Por isso precisamos nos permitir enxergar as pessoas além da casca. Quem julga o outro apenas pelo rótulo, ou por uma primeira impressão, pode perder a oportunidade de conviver com alguém muito bacana. Já mudei de idéia sobre pessoas várias vezes. Mas para isso, precisei deixar de lado minha resistência e minha vontade de não aceitar. É fácil rotular alguém. Difícil é aceitar as pessoas como elas são. Dífícil é aceitar gente jabuticaba, gente abacaxi, gente coco... Mas necessário refletir que somos todos gente. Simplesmente.

Texto inspirado pelas várias jabuticabas que comi hoje!

Um comentário:

Muri disse...

Que delícia de texto!!! Acho que vou correr atrás de umas jabuticabas essa semana mesmo, pessoas e frutas!