1 de mai de 2010

Ipês já enfeitam a cidade


Nos próximos dias, quando for caminhar em Uberlândia, comece a prestar atenção na paisagem. Belos ipês cor de rosa já enfeitam nossas ruas, com seus cachos suaves, que contrastam com o céu imensamente azul das manhãs de quase inverno.
Os meus favoritos são os da Segismundo Pereira, no bairro Santa Mônica, onde moro. No Alto Umuarama, onde ficam várias empresas de prestação de serviços, numa gigantesca área verde que aos poucos vai sendo invadida pela cidade, eles também colorem a paisagem. Na Rondon Pacheco, alguns enormes e antigos ipês vão aos poucos trocando os galhos secos pelas cores alegres das plantas. Pena que um deles teve que ser "transplantado" para o Parque do Sabiá para que o shopping pudesse colocar umas palmeiras por enquanto horrorosas em sua nova entrada... Coisas da modernidade.
Está aberta a temporada dos ipês. Roxos, amarelos, rosa, brancos, eles colorem o céu da cidade. No centro, nos bairros, nos parques, nos clubes, os cachos coloridos enfeitam a nossa terra fértil. Mas é preciso apreciar rapidamente, porque ipês florescem de forma efêmera. São poucos dias de beleza, estendidos um pouquinho graças aos tapetes coloridos que se formam quando as flores caem.
Há muitos anos tive um namorado que me chamava de "Flor de Ipê". Ele nunca havia visto uma dessas árvores, a não ser em fotos (era estrangeiro), mas conseguiu criar um apelido carinhoso que sempre me marcou muito. A flor do ipê sabe que seu encanto é passageiro, se prepara para brotar e, quando o faz, é para deixar uma marca de beleza e sensibilidade. Ter alma de ipê é saber que tudo passa, que precisamos nos preparar para nosso espetáculo, seja em que área for.
Mais uma vez, "Vê, estão chegando as flores".

Para meu amigo Zé Geraldo, que também ama os ipês e estava ao meu lado quando tirei essa foto.
E para César Centeno, que um dia aprendeu a gostar deles também. De vez em quando sinto saudade.

Nenhum comentário: