26 de mai de 2010

Deixe secar a raiva

Esse espaço é para minhas reflexões pessoais, impressões sobre a cidade, assuntos mais genéricos...
Mas há momentos em que nos deparamos com textos tão interessantes que vale a pena replicá-los, desde que respeitando-se a fonte. Esse é da coluna da Anita Godoy no Jornal Correio, publicado na edição de 26 de maio.
Na escola da vida e dos relacionamentos, aos poucos vou aprendendo a pensar antes de agir. Sempre fui de explodir no momento em que as coisas aconteciam, em que as pessoas me magoavam ou em que algo saía diferente do que eu tinha planejado. Ainda faço isso, mas sempre negocio comigo mesma, com meu pavio curto, com minha ansiedade de dizer tudo o que fica às vezes entalado na garganta.
Tem momentos em que aquela pessoa tão próxima pisa na bola e a gente quer descascar o abacaxi. Outros, em que a gente está cansado e chateado e acaba descarregando no outro a nossa raiva. Outros ainda em que uma gota d´água vira um tsunami.
Por isso, da próxima vez em que eu pensar em explodir e falar coisas movida pela raiva, acho que vou me lembrar dessa pequena história e deixar a raiva secar...

"Certa vez uma menina ganhou um brinquedo no dia do seu aniversário.
Na manhã seguinte, uma amiguinha foi até sua casa lhe fazer companhia e brincar com ela. Mas a menina não podia ficar com a amiga, pois tinha que sair com a mãe. A amiga então pediu que a menina a deixasse ficar brincando com seu brinquedo novo. Ela não gostou muito da ideia, mas, por insistência da mãe, acabou concordando.
Quando retornou para casa, a amiguinha não estava mais lá: tinha deixado o brinquedo fora da caixa, todo espalhado e quebrado. Ela ficou muito brava e queria porque queria ir até a casa da amiga para brigar com ela.
Mas a mãe ponderou:
- Você se lembra daquela vez que um carro jogou lama no seu sapato?
Ao chegar em casa você queria limpar imediatamente aquela sujeira, mas sua avó não deixou. Ela falou que você devia primeiro deixar o barro secar. Depois, ficaria mais fácil limpar. Com a raiva é a mesma coisa. Deixe a raiva secar primeiro, depois fica bem mais fácil resolver tudo.
Mais tarde, a campainha tocou: era a amiga trazendo um brinquedo novo.
Disse que não tinha sido culpa dela, e sim de um menino invejoso que, por maldade, havia quebrado o brinquedo quando ela brincava com ele no jardim.
E a menina respondeu:
- Não faz mal, minha raiva já secou!
Discussões no dia a dia, nos relacionamentos e no trabalho podem levar as pessoas a ter sentimentos de raiva. Segure seus ímpetos, deixe o barro secar para depois limpá-lo. Assim você não corre o risco de cometer injustiças."

2 comentários:

Luciana Paranahyba Carvalho disse...

Muito sábia! Com certeza é uma lição a se aprender!

Beijo,
Lu

marcellacanto disse...

É, vou aprender a deixar a raiva secar.... um dia eu vou!!!!