21 de dez de 2011

Reajuste dos salários dos vereadores: vergonha


Fonte: http://berimbau.blogspot.com
Na semana que passou, um dos assuntos que despertou debates acalorados em Uberlândia foi a aprovação do reajuste dos salários para os vereadores que assumirem as vagas da legislatura 2013-16. Os atuais ocupantes das cadeiras da Câmara Municipal aprovaram um reajuste na ordem de 54% para os salários daqueles que irão assumir as vagas após a eleição de 2012.
Em defesa do reajuste desproporcional a qualquer índice inflacionário, que corrige o salário da maioria dos trabalhadores brasileiros, nossos vereadores declararam que a lei permite a equiparação salarial, tomando-se como ponto de partida o teto dos salários dos Deputados Estaduais, se não me engano. Alegam também que não votaram em causa própria, mas sim em nome dos futuros vereadores, que serão eleitos ao final do próximo ano. Com esse discurso, justificam suas posições. Parecem não perceber o quanto este argumento é frágil, uma vez que a grande maioria vem declarando, pelo jornal Correio de Uberlândia, sua intenção em reeleger-se. Semanalmente, o jornal traz o perfil dos atuais vereadores. Até agora, apenas dois disseram não ter interesse em retornar à Câmara.
Infelizmente, ainda somos uma sociedade pouco organizada, que protesta facilmente pelas mídias sociais mas não se mobiliza no mundo real. Me incluo nisso. No dia da votação, seguindo uma dica do amigo Bruno Fiqueredo, do blog Joga no Google, entrei no Facebook de todos os vereadores e enviei a mesma mensagem, pedindo que votassem com a mão na consciência, e não no bolso. Infelizmente, a maioria optou pela segunda alternativa.
Aliás, esse exercício, que alguns chamam de Cyber Democracia, me fez refletir sobre o quanto estamos financiando estruturas que não funcionam. Enviei mensagens para quase todos os vereadores que mantém páginas no Facebook. Como profissional de comunicação, sei que a maioria deles paga um profissional da área para cuidar dos relacionamentos nas mídias sociais. Aliás, os recursos que criam esses empregos provém de nossos impostos, que além do salário dos vereadores, paga também a tal verba de representação dos gabinetes.
Pois bem, enviei mensagens para todos os vereadores que mantém páginas no Facebook. A mesma mensagem para todos. Apenas três me responderam: Delfino Rodrigues, Adriano Zago e Neivaldo Lima. Ambos foram contrários ao reajuste. Entre os que foram favoráveis, silêncio total. Talvez tenham se sentido despreparados para responder ao simples apelo de uma cidadã uberlandense.
Talvez por falta de preparo, talvez por falta de argumentos, os assessores dos vereadores não se dignaram a responder a uma eleitora, que é também uma formadora de opinião. Aos três que responderam, obrigada e parabéns! Comunicação é diálogo, ainda que as pessoas tenham ideias totalmente contrárias.
Esse reajuste salarial é uma afronta. Fiquei pensando esses dias na seguinte analogia: um professor universitário, com graduação, mestrado e doutorado, passa por um rigoroso processo seletivo para assumir uma vaga em uma universidade pública, onde contribuirá para a formação de cidadãos. Na nossa Universidade Federal de Uberlândia, recém empossados começam suas atividades com salário que não chega a R$ 8 mil.
Fonte: www.esperidiao.com
Essas pessoas investiram cerca de 20 anos (ou mais) de suas vidas em bancos escolares. Em um semestre, se derem aula em quatro ou cinco turmas, irão influenciar positivamente a vida de cerca de 200 jovens. Em um ano, 400. Em quatro anos, serão cerca de 1600 jovens. Esses, por sua vez, irão para o mercado de trabalho gerar riqueza, conhecimento, construir uma cidade melhor. Um excelente retorno para a sociedade.
Já nossos vereadores, em quatro anos, vão votar inúmeros projetos, nomear ruas, conceder homenagens, trabalhar dez dias por mês, atender alguns eleitores, participar de algumas reuniões, apoiar ou fazer oposição ao prefeito. Em quatro anos, terão sido adulados ou serão aduladores. Terão aprovado leis importantes, como orçamento. Terão apresentado leis absurdas e inconstitucionais. Alguns estudaram, outros são basicamente alfabetizados. Qual retorno eles derão para a sociedade? Nomes de ruas? Aprovação de verbas? Exemplos de falta de educação protagonizados diante das câmaras?
Infelizmente, os vereadores de Uberlândia já aprovaram o reajuste. A população se manifestou, mas não houve repercussão. Resta-nos registrar bem o nome daqueles que votaram favoravelmente ao reajuste e evitar votar neles em 2012. Talvez fazer campanha contra. Usar nossos blogues, perfis no facebook e twitter para lembrar à população a falta de respeito à nossa vontade. O problema é que, com um salário desses, teremos um verdadeiro "circo dos horrores" em matéria de candidatos. Vale lembrar que o processo seletivo para esse "emprego dos sonhos" passa pelo nosso voto.
Confira aqui matéria do jornal Correio de Uberlândia onde consta a relação dos vereadores que foram favoráreis e contrários ao reajuste.

Nenhum comentário: