1 de jun de 2011

Arnaldo Terra: a beleza em forma de som


Fonte: Correio de Uberlândia,
by Valter de Paula




 Há muitos e muitos anos, com certeza mais de dez, ouvi pela primeira vez a música de Arnaldo Terra. Era meu aniversário e resolvi comemorar no Clementina, com amigos queridos e colegas de trabalho. Ao chegarmos lá, demos de cara com o músico, tocando belas canções que encantaram nossa noite.
Embora faça muito tempo, aquele aniversário ficou marcado como a noite em que o Arnaldo Terra tocou para mim. Depois disso, jamais o esqueci e, em algumas ocasiões, tive a chance de chamá-lo para abrilhantar eventos empresariais.
Recentemente, li no jornal Correio que ele lançaria um CD, com composições próprias. Procurei em algumas lojas da cidade e não encontrei. Até que, perto do Dia das Mães, encontrei na Livraria Nobel, ali no Fundinho.
Ao chegar em casa, comecei a ouvir Arnaldo Terra e seu belo violão. A melodia nos transporta para um outro lugar. Os sons que ele é capaz de tirar do instrumento são maravilhosos. Arnaldo é um artista da terra, dessa terra fértil que produz tantos bons músicos, mas também dessa terra ingrata onde cultura é algo pouquíssimo valorizado.
Não sou especialista em música, mas sei apreciá-la. Sei ficar quietinha ouvindo os sons mágicos que saem das mãos do artista, que compõem como se fosse para agradar aos ouvidos de seres celestes.
Vale a pena ouvir Arnaldo Terra. Muitos, que o acompanham, como eu, já ouviram sua emocionante versão para "What a Wonderful World". Ou ainda suas versões ao violão para clássicos da música brasileira, como Aquarela do Brasil, Brasileirinho, Carinhoso. Tentei achar um vídeo bacana para compartilhar um pouco desse imenso talento. Achei uma versão de Hotel Califórnia que é de arrepiar. Para quem quiser assistir, clique aqui.
No CD, ele toca composições próprias. A gente ouve e esquece que o tempo passa. A beleza tem várias formas. Na forma de som, acho que ela se chama Arnaldo Terra.

Nenhum comentário: