11 de abr de 2011

Uberlândia Integrada: convencimento por meio de ações de Relações Públicas

Adicionar legenda
Mês passado, a Prefeitura Municipal de Uberlândia divulgou, com bastante ênfase, o Uberlândia Integrada, um mega projeto para o trânsito das principais vias urbanas e rodoviárias da cidade. Li bastante a respeito, assisti a reportagens da TV, mas não me senti totalmente convencida sobre seus benefícios. Até que, semana passada, participei de uma palestra com Dílson Dalpiaz Dias, Secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo de Uberlândia.
Ele fez uma palestra para alunos do primeiro período da faculdade onde dou aulas. Dílson, que é engenheiro, é um dos melhores profissionais de comunicação que conheço (abaixo o corporativismo, colegas jornalistas, publicitários e relações públicas!). O objetivo do encontro era falar sobre as oportunidades da cidade para os grandes eventos esportivos que acontecerão no Brasil em breve (Copa das Confederações, Copa do Mundo, Olimpíadas). Ao final de sua apresentação, ele apresentou o vídeo do projeto Uberlândia Integrada.
Na medida em que fui assistindo, percebi o impacto que as mudanças trarão para o trânsito da cidade. Vias mais largas, viadutos, terminais de integração de ônibus, mais segurança para pedestres no cruzamento de vias de alto movimento. O vídeo, muito bem produzido pela equipe da Cinefilmes (quem quiser assistir, clique aqui), nos mostra uma cidade do futuro, preparada para o crescimento populacional, para captar águas da chuva, para atender motoristas, pedestres e usuários do transporte público. Somando-se ao discurso do Secretário de Desenvolvimento Econômico, o audiovisual ajuda a convencer até os mais céticos, como eu me via até aquele momento.
O projeto foi muito bem desenvolvido do ponto de vista de engenharia, urbanismo, preocupação ambiental. Não sou especialista em nenhuma dessas áreas, mas colegas professores comentaram isso após a apresentação. Fiquei preocupada apenas por não enxergar, por enquanto, questões que considero relevantes, como a educação e conscientização de motoristas e pedestres para um trânsito mais humano. Enquanto assistia à apresentação fiquei pensando em meus próprios hábitos, como o de ir ao centro de carro, pagar caro em estacionamento, quando poderia muito bem ir de ônibus. Tenho uma bicicleta que nunca sai da garagem. Vou de carro à padaria...
Vale adicionar também a importância das ações de Relações Públicas para que a comunidade entenda e participe ativamente do projeto. Eu já havia sido informada sobre ele. Mas o contato com o Secretário Dilson Dalpiaz Dias, seu entusiasmo, o vídeo que mostra em detalhes o que está projetado, tudo isso contribuiu para me convencer finalmente.
Muitas empresas locais são míopes para a importância da comunicação integrada, que envolve ações de Propaganda, Jornalismo e Relações Públicas para a conquista dos corações e mentes dos públicos que pretendem influenciar. Comunicação é vista como algo caro, supérfluo até. Na palestra a qual assisti haviam cerca de 120 jovens. No dia seguinte, mais de 200 já haviam copiado o filme, que foi deixado na biblioteca da faculdade. A palestra foi tema de várias aulas. Creio que pelo menos 500 pessoas foram influenciadas positivamente naquela semana. Essas pessoas tem famílias e amigos. Imagine o potencial de multiplicação das mensagens.
Comunicação Integrada é fácil de fazer. Tem custo sim, justamente porque tem valor. Neste ponto, a equipe da Prefeitura Municipal de Uberlândia está de parabéns. O projeto Uberlândia Integrada pode ter falhas, o custo é alto, faltam ações culturais. O transporte coletivo ainda é falho, os viadutos e as obras darão muita dor de cabeça aos motoristas. Mas tenho certeza de que, em poucos anos, teremos ainda mais amor pela nossa cidade.

Um comentário:

Anônimo disse...

Com toda certeza temos que ter mais amor na cidade em que vivemos. Nasci e fui criado em Uberlândia e vejo meu pai falando como era a cidade nos arredores de onde moramos. Um lugar calmo, com inúmeros córregos, uma linha de trêm, bicicletas, carroças e seus respectivos cavalos, a típica cidade do interior. Essa paisagem bucólica que eu acabei de citar é a conhecida Rondom Pacheco que agora está em fase de obras e como você disse no texto, que como sempre muito gostoso de ler, temos que ter paciência para nos adaptarmos a essas mudanças que mais do que nunca serão pontuais. Nossa cidade cresce a passos largos.

Maurity Cazarotti